Integração produtiva da América do Sul é discutida em debate no IPEA

11 Dezembro 2014

Especialistas de dez países da América do Sul reuniram-se na sede do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), em Brasília, para apresentarem os primeiros avanços da análise de complementaridade produtiva na região. O projeto é coordenado pelo diretor de Estudos, Relações Econômicas e Políticas Internacionais (DINTE) do IPEA, Renato Baumann, e conta com o suporte técnico da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL). A primeira fase do projeto deve ser concluída até abril de 2015.

 

O projeto consiste na construção de uma matriz regional de insumo-produto, além da estimação de indicadores que apontem os setores com maior potencial para integração produtiva entre Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela. A partir dos resultados preliminares, alguns setores já figuram como candidatos naturais a iniciar esse processo de integração: alimentos e bebidas, produtos químicos, plástico e borracha e a indústria automotiva.

 

As iniciativas do IPEA e da CEPAL devem contribuir para o aprofundamento da integração regional e dar impulso aos investimentos nos países da América do Sul. De acordo com Alícia Bárcena, secretária-executiva da CEPAL, após o fenômeno das commodities encabeçado pela China na década de 2000, as políticas latino-americanas não mais devem se fiar no desempenho das exportações ou no estímulo ao consumo doméstico. Ainda segundo Bárcena, a América Latina transaciona apenas 19% do comércio exterior entre os países da região. Em contraste, 60% do comércio europeu é realizado entre os membros da União Europeia (UE).

 

A mudança do paradigma de crescimento dos países da região também esteve em discussão em Santiago, durante seminário promovido pelo Ministério da Fazenda do Chile. Na ocasião, a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou que a América Latina deve investir em infraestrutura e educação para “elevar a produtividade e diversificar a economia”.

 

Segundo informações do instituto The Conference Board, o produto médio gerado por pessoa empregada nos países latino-americanos foi de um terço do produto médio gerado pelo trabalhador estadunidense em 2013.

 

Reportagem Equipe Pontes

 

Fontes consultadas:

 

Mercopress. Road ahead for Latin America 'increasingly bumpy' says IMF Lagarde. (08/12/2014). Acesso em: 08 dez. 2014.

 

Pontes. Cadeias globais de valor e complementaridade produtiva na América do Sul. (27/11/2013). Acesso em: 02 dez. 2014.

 

Valor Econômico. Cepal: AL enfrenta encruzilhada e precisa investir e se integrar mais. (06/12/2014). Acesso em: 08 dez. 2014.

25 Setembro 2015
O Mercado Comum do Sul (Mercosul) trocará ofertas comerciais com a União Europeia (UE) em novembro. A decisão foi tomada após a reunião do Grupo Mercado Comum (GMC), realizada em 22 e 23 de setembro...
Share: 
5 Outubro 2015
O complexo cenário vivido pelo Brasil não afeta apenas sua economia interna. Dados divulgados recentemente mostram que a atual recessão afeta a balança comercial da Argentina. Segundo relatório da...
Share: