Mercosul e UE devem retomar negociações para acordo

17 Maio 2010

A União Europeia (UE) e o Mercado Comum do Cone Sul (Mercosul) retomarão as negociações para firmar um tratado de livre comércio (TLC). Segundo as autoridades comerciais dos dois blocos, as Partes esperam concluir as tratativas até o final do ano.
 
“Negociações como estas são um desafio, mas o momento é favorável para lançar um novo olhar sobre o estado das discussões”, declarou Karel De Gucht, comissária de comércio da UE. Oficiais da UE sustentam que o acordo tem o potencial de elevar as exportações do bloco para os países do Mercosul em € 4 bilhões ao ano.
 
As negociações entre os blocos iniciaram-se em 1999, mas foram paralisadas em 2004, em função de um impasse sobre a liberalização no setor agrícola. O relançamento da iniciativa de aproximação com o grupo sul-americano constitui uma prioridade para a Espanha, país que ocupa a presidência rotativa da UE até o final de junho.
 
O bloco europeu é o principal parceiro comercial do Mercosul, bem como o maior investidor nos países que compõem o bloco sul-americano. Atualmente, a UE responde por 20% do fluxo de comércio internacional com os parceiros do Mercosul. Em 2009, o comércio entre os blocos totalizou US$ 84 bilhões.
 
Além do comércio de bens, o acordo em discussão deve incluir também serviços, investimentos, compras governamentais e desenvolvimento sustentável. As negociações podem esbarrar em alguns obstáculos ao tocarem o tema da liberalização agrícola – questão-chave na controvérsia que desencadeou a paralisação nas tratativas, há seis anos.
 
A Copa-Cogeca, uma das principais associações de agricultores da UE, argumentou que um acordo com o Mercosul acarretaria uma contração significativa no setor agrícola europeu, o que arriscaria a perda de 28 milhões de empregos. A entidade defendeu também que os produtores nos países do Mercosul não possuem ônus equivalente àqueles enfrentados pelos europeus em relação à segurança de produtos alimentícios, bem-estar animal e exigências ambientais. Diante disso, José Manuel Barroso, presidente da Comissão Europeia, assegurou: “Nós atentaremos para qualquer efeito negativo para setores específicos, particularmente o agrícola”.
 
As negociações serão retomadas oficialmente na cúpula UE-Mercosul, a ser realizada em Madri, a partir de 17 de maio. Neste encontro, será assinado o TLC entre UE, Colômbia e Peru, cujas negociações foram concluídas em março.
 
Tradução e adaptação de texto originalmente publicado em Bridges Weekly Trade News Digest, Vol. 14, No. 17 - 12 mai. 2010.

TAG: 
Serviços
7 Dezembro 2009
Brasil aumenta participação no FMI e recebe poder de veto para os BRICs O Brasil elevou de US$ 10 bilhões para US$ 14 bilhões, o montante de recursos para reforçar a capacidade de ajuda do Fundo...
Share: 
7 Dezembro 2009
OMC Local: Genebra, Suíça Informações: 8 a 10 de dezembro Órgão de revisão de políticas comerciais: Geórgia 8 e 9 de dezembro Comitê de Comércio e Desenvolvimento 10 de dezembro Grupo de trabalhos...
Share: