OMC: a expectativa e a realidade

15 Junho 2016

Não existe avaliação de um projeto que seja desprovida de um juízo de valor prévio. Em outras palavras, expectativas moldam a percepção daqueles responsáveis por julgar os avanços colhidos por qualquer iniciativa.

 

Um ótimo exemplo é oferecido pela Organização Mundial do Comércio (OMC). Fundada em tempos de profundo otimismo com o multilateralismo, a instituição sofre tanto com a mudança no humor dos cidadãos afetados por suas regras quanto com o desafio de concretizar o mandato inicial. Caso tivesse derivado de um cálculo mais conservador, a OMC possivelmente não estaria sofrendo tamanha pressão por resultados.

 

Por outro lado, a boa vontade da década de 1990 permitiu ao sistema multilateral do comércio estabelecer um poderoso mecanismo de solução de controvérsias. Passados mais de 20 anos da assinatura do Tratado de Marraqueche, a capacidade de influenciar a criação de uma jurisprudência de alcance internacional é o principal trunfo da Organização. De fato, os pareceres produzidos em Genebra consolidam as promessas feitas no passado, conectando o otimismo do passado com as práticas do presente.

 

Nesse sentido, talvez o principal desafio para a OMC esteja associado à resolução do conflito entre as expectativas que a criaram e os atuais anseios de seus participantes. Poderá a Organização evitar que a pressa por resultados esvazie seu papel como mediadora de uma agenda de alcance amplo? Serão capazes os juízes baseados em Genebra de manter a autoridade em um mundo marcado por uma constante redefinição das prioridades geopolíticas? Em resumo, até quando conseguirá o sistema multilateral de comércio manter acesa a chama dos valores dos anos 1990?

 

Obviamente, expectativas mudam mais rapidamente do que as instituições. Resta saber, porém, qual o grau de resistência de tais regras em meio a tamanho descontentamento. Este número do Pontes oferece a você, prezado(a) leitor(a), contribuições que permitem uma avaliação do papel do multilateralismo no mundo atual. Ademais, gostaríamos de saber o que pensa sobre o tema: caso queiram comentar os textos aqui publicados ou enviar sugestões de tópicos a serem abordados no futuro, podem fazê-lo em nosso site ou enviando um e-mail.

 

Esperamos que aprecie a leitura.

 

A Equipe Pontes

This article is published under
8 Maio 2017
No começo do mês, veterinários da União Europeia (UE) chegaram ao Brasil para inspecionar frigoríficos de carne bovina, suína e de frango nos estados do Paraná, Goiás, Santa Catarina, São Paulo e...
Share: 
16 Maio 2017
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) preparou um documento de posição em que destaca as principais propostas da indústria nacional para revitalizar o Mercado Comum do Sul (Mercosul). O...
Share: