Publicações

20 Novembro 2016

Mudança Climática e Energia Limpa na Agenda 2030: qual o papel do sistema de comércio?

 

ICTSD – outubro 2016 

Entre as metas da Agenda 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, estão os objetivos relacionados à mudança climática (incluindo mitigação e adaptação) e à energia sustentável. Este estudo discute como as regras multilaterais de comércio poderiam dar suporte ao progresso em direção aos objetivos da Agenda 2030. A análise concentra-se nos principais desafios observados na interseção entre política comercial e alterações climáticas. Além disso, recomenda a priorização de ações políticas em três áreas: subsídios aos combustíveis fósseis; subsídios à energia limpa; e acesso, disseminação e transferência de tecnologias amigas do clima. O estudo pode ser acessado aqui.

 

Brasil - Diagnóstico Sistemático de País: retomando o caminho para a inclusão, o crescimento e a sustentabilidade

 

Banco Mundial – junho 2016

O Brasil é uma potência continental: é o quinto maior país do mundo (tanto em termos de território como de população) e suas perspectivas de desenvolvimento são pertinentes para a política global. Com efeito, o porte do Brasil confere importância sistêmica ao país do ponto de vista ambiental e econômico. Assim, os rumos desenhados a partir do cenário em que o Brasil se encontra atualmente serão determinantes não apenas para a retomada de um sólido crescimento, mas também para as possibilidades de sua inserção global. Este estudo de diagnóstico desenvolvido pelo Banco Mundial busca contribuir para o debate sobre o futuro do desenvolvimento do Brasil. O documento pode ser acessado aqui.

 

Manual para o fortalecimento de cadeias de valor

 

CEPAL – outubro 2016

O Manual publicado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) apresenta a metodologia desenvolvida por seu escritório subregional no México, com vistas a promover o desenho de estratégias de participação nas cadeias de valor. O estudo visa à facilitação da implementação de uma política industrial moderna e inovadora, orientada a uma ampla gama de setores, tais como agricultura, pesca, manufatura e turismo. O Manual sistematiza a experiência da CEPAL em processos de colaboração técnica com diversos países da região, como parte do projeto "Crescimento inclusivo, política industrial rural e cadeias de valor participativas na América Latina e Caribe". O Manual está disponível aqui.

 

Clubes de Mercados de Carbono sob o Regime Climático de Paris: Considerações sobre a Política Climática e Comercial

 

ICTSD – outubro 2016

Espera-se que os mercados de carbono continuem a desempenhar um papel fundamental no esforço de mitigação no âmbito do Acordo Climático de Paris. A cooperação em mercados de carbono pode ajudar a reduzir a competitividade e as preocupações de fuga de carbono; e essa dinâmica pode estimular a consolidação de mercados de carbono cada vez mais ambiciosos. Nesse sentido, esse relatório avalia o potencial desses mecanismos à luz do Acordo de Paris, que lançou recentemente iniciativas de mercado de carbono a partir de uma perspectiva de política climática e comercial. Isso mostra que serão necessários esforços adicionais dentro e fora da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, sigla em inglês) para que os mercados de carbono surjam e explorem os desafios e oportunidades que o sistema de comércio pode colocar nessas frentes. O paper está disponível aqui.

This article is published under
1 Novembro 2016
ICTSD cobrirá negociações climáticas de Marraqueche O International Centre for Trade and Sustainable Development (ICTSD) participará ativamente da cobertura da 22ª Conferência das Partes (COP 22,...
Share: 
1 Novembro 2016
Apesar dos desentendimentos entre as partes na semana anterior, União Europeia (UE) e Canadá finalmente assinaram, em 30 de outubro, o Acordo Econômico e Comercial Abrangente UE-Canadá (CETA, sigla...
Share: