A quem convém facilitar o comércio?

22 Maio 2017

Mal celebrada uma importante conquista, a incerteza está de volta à Organização Mundial do Comércio (OMC). Afinal, a entrada em vigor do Acordo de Facilitação do Comércio (TFA, sigla em inglês) coincide com a ascensão de um discurso protecionista à Presidência dos Estados Unidos. Em meio às reviravoltas proporcionadas pela administração de Donald Trump, caberá a cada um dos países da América Latina decidir: compensa associar o futuro de sua estratégia comercial ao desempenho do sistema multilateral?

 

Independentemente da resposta, existem bons motivos para a implementação do TFA. Acima de tudo, o Acordo incorpora princípios que conviriam a qualquer plano de promoção do crescimento econômico. Da mesma maneira, como pensar em qualquer projeto de integração regional sem a devida convergência regulatória? Nesse sentido, a resiliência de práticas obsoletas nos sistemas aduaneiros dos países da América Latina não deixa de surpreender.  

 

Por isso, discutir os possíveis limites para a implementação do TFA na América Latina implica um olhar que vá além do futuro da OMC. Fundamentalmente, a promoção da facilitação do comércio está relacionada ao projeto de organização econômica de um país. Se a operacionalização do Acordo fracassar em nossa região, será mais pela complexa natureza das coalizões sustentando os aparatos burocráticos latino-americanos do que pela debilidade da liderança de Genebra. 

 

Este número do Pontes apresenta a você, prezado(a) leitor(a), artigos que nos permitem entender as conquistas e desafios trazidos com a entrada em vigor do TFA. Nas páginas a seguir, especialistas discutem estratégias para uma efetiva promoção da facilitação do comércio na América Latina. Para tanto, levam em consideração tanto os últimos eventos ao redor do mundo quanto as características dos países da região. Assim, pretendemos oferecer uma discussão que proponha objetivos realistas, alinhando-os com o nosso atual estágio de desenvolvimento institucional.

 

Contamos com a sua participação no debate. Para tanto, oferecemos nosso site e nosso e-mail. Ademais, gostaríamos de fazer um anúncio especial: a partir de maio de 2017, os projetos editoriais das revistas Pontes e Puentes serão plenamente integrados. Com isso, pretendemos incrementar as sinergias entre ambas as publicações, oferecendo a você, prezado(a) leitor(a), um volume ainda maior de contribuições originais.

 

Esperamos que aprecie a leitura.

 

A Equipe Pontes

This article is published under
3 Agosto 2017
Em 29 de julho, ocorreu em Hangzhou (China) o segundo encontro dos ministros da Indústria do BRICS, grupo que reúne Brasil, Rússia, China e África do Sul. Logo em seguida, a cidade de Xangai abrigou...
Share: 
10 Agosto 2017
Em 7 de agosto, um representante da China lotado em Montevidéu afirmou que seu país tem interesse em um tratado de livre comércio (TLC) com o Uruguai e o Mercado Comum do Sul (Mercosul). No dia...
Share: