Agricultores europeus redobram pressão contra acordo Mercosul-UE

17 Abril 2016

Prevista para a segunda semana de maio, a troca de ofertas entre o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e a União Europeia (UE) gera preocupações entre os agricultores deste bloco. Recentemente, 13 membros da UE manifestaram à Comissão Europeia (CE) sua apreensão quanto aos efeitos de um acordo sobre os produtores agropecuários do continente. Entre os descontentes, países como França, Irlanda e Polônia mostram-se especialmente insatisfeitos com o possível rumo das conversas.

 

Por sua vez, o comissário de Agricultura e Desenvolvimento Rural da UE, Phil Hogan, afirmou em reunião recente com representantes do setor agropecuário que o atual compromisso com um acordo não impedirá a defesa e promoção dos interesses europeus nas negociações. Ademais, Hogan argumentou que o Mercosul “deveria moderar suas expectativas tendo em vista o que é administrável e aceitável pela UE”.

 

Buscando fortalecer seus argumentos, associações ligadas à agropecuária europeia encomendaram estudos com estimativas das perdas do setor em caso de acordo. Por exemplo, pesquisa divulgada pela Associação de Agricultores da Irlanda (IFA, sigla em inglês) calcula que um tratado com o Mercosul levaria a uma redução das vendas dos produtores rurais do bloco de até € 7,8 bilhões.

 

É incerto, porém, o grau de influência do setor agropecuário europeu sobre as ações dos diplomatas do bloco. Em declarações recentes à imprensa, a comissária de Comércio da UE, Cecilia Malmström, celebrou a retomada do diálogo e declarou estar confiante quanto à conclusão de um “acordo ambicioso e amplo”.

 

Do outro lado do Atlântico, a ministra das Relações Exteriores da Argentina, Susana Malcorra, minimizou os possíveis impactos da crise política brasileira sobre o cronograma de negociações, argumentando que as conversas com a UE constituem uma “política de Estado”. Já o chanceler uruguaio, Rodolfo Nin Novoa, aproveitou visita recente a Bruxelas para enfatizar a existência de uma nova atmosfera política no Cone Sul, usando como evidência a atitude positiva da administração Mauricio Macri em relação à liberalização comercial (ver Puentes, vol. 17, n. 1).

 

Reportagem Equipe Pontes

 

Fontes consultadas:

 

El País. Nin Novoa: el cambio de gobierno en Argentina "favoreció" acuerdo con UE. (06/04/2016). Acesso em: 14 abr. 2016.

 

MercoPress. EU farmers claim trade deal with Mercosur represents an "unacceptable risk". (12/04/2016). Acesso em: 14 abr. 2016.

 

Reuters. Despite Brazil crisis, EU to restart Mercosur trade talks in May. (14/04/2016). Acesso em: 14 abr. 2016.

 

The Independent. EU is 'committed' to a Mercosur deal: Hogan. (12/04/2016). Acesso em: 14 abr. 2016.

3 Agosto 2017
Em 29 de julho, ocorreu em Hangzhou (China) o segundo encontro dos ministros da Indústria do BRICS, grupo que reúne Brasil, Rússia, China e África do Sul. Logo em seguida, a cidade de Xangai abrigou...
Share: 
10 Agosto 2017
Em 7 de agosto, um representante da China lotado em Montevidéu afirmou que seu país tem interesse em um tratado de livre comércio (TLC) com o Uruguai e o Mercado Comum do Sul (Mercosul). No dia...
Share: