Alemanha e Brasil discutem comércio e meio ambiente

24 Agosto 2015

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, desembarcou no Brasil em 19 de agosto para um rápido encontro com a presidente Dilma Rousseff. A ocasião inaugura o mecanismo chamado “Consultas de Alto Nível Brasil-Alemanha”, que prevê reuniões alternadas a cada dois anos. Na agenda, destaca-se a possível cooperação entre os dois países em temas como mudança climática e o acordo comercial entre Mercado Comum do Sul (Mercosul) e União Europeia (UE), além da assinatura de diversos programas de parceria bilateral.

 

A visita de Merkel ocorreu em meio aos preparativos para a 21ª Conferência das Partes (COP, sigla em inglês) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, sigla em inglês), que será realizada em Paris no final de 2015. A chanceler alemã enfatizou o “papel-chave” do Brasil no controle do aquecimento global e elogiou as iniciativas recentes do país no combate ao desmatamento. Fontes ligadas ao governo alemão informaram, ainda, que o país europeu oferecerá até € 550 milhões ao longo dos próximos dois anos para o financiamento de projetos ligados à proteção florestal em solo brasileiro.

 

Alemanha e Brasil também assinaram uma série de acordos de cooperação na área ambiental. Entre as medidas anunciadas, o país europeu prevê liberar € 23 milhões para viabilizar a recomposição de áreas de preservação e a regularização de terras pertencentes a produtores familiares e comunidades tradicionais nos estados de Mato Grosso, Pará e Rondônia. Outra iniciativa bilateral contempla o financiamento sustentável de áreas de conservação, por meio do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA). Finalmente, autoridades alemãs confirmaram a intenção de cooperar com a Noruega a fim de agilizar a liberação de recursos para o Fundo Amazônia.

 

Na área comercial, o encontro bilateral foi antecedido por uma reunião entre a presidente Dilma Rousseff e empresários brasileiros. Intermediado pelo titular do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro, o diálogo contou com a presença de ministros e representantes dos setores de infraestrutura, proteína animal, serviços, siderurgia e química. Em declarações à imprensa após o evento, Monteiro avaliou que, por seu peso econômico, Alemanha e Brasil serão os principais responsáveis pelo avanço das negociações entre Mercosul e UE. O ministro defenderia, ademais, a iniciativa de promover o diálogo com o empresariado, por considerar que ouvir a opinião daqueles que serão diretamente afetados pelo novo marco institucional permite o estabelecimento de rumos que maximizam os investimentos no futuro.

 

Mais tarde, Armando Monteiro e o vice-ministro de Economia e Energia da Alemanha, Matthias Machnig, assinaram acordos bilaterais de cooperação voltados às áreas de inovação e integração produtiva. O objetivo geral é permitir às empresas do Brasil maior acesso aos avanços obtidos por diferentes programas de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) na Alemanha. Ao governo brasileiro, interessa especialmente compreender e disseminar a lógica da integração entre linhas de produção e tecnologia da informação – área em que empresas alemãs avançaram consideravelmente na última década.

 

Reportagem Equipe Pontes

 

Fontes consultadas:

 

El País. Merkel apoya a Rousseff con una visita relámpago a Brasil. (20/08/2015). Acesso em: 22 ago. 2015.

 

Deutsche Welle. Merkel talks trade, environment in Brazil. (20/08/2015). Acesso em: 22 ago. 2015.

 

Globo. Ministro diz que acordo Mercosul-UE depende de Brasil e Alemanha. (19/08/2015). Acesso em: 22 ago. 2015.

 

MDIC Online. Brasil e Alemanha assinam acordos de cooperaçXX em inovaçXX e integraçXX produtiva. (29/08/2015). Acesso em: 23 ago. 2015.

 

Portal Brasil. Brasil e Alemanha celebram acordos para a proteçXX do meio ambiente. (20/08/2015). Acesso em: 23 ago. 2015.

20 Novembro 2016
Neste artigo, os autores analisam os principais desafios e oportunidades que se colocam às relações entre China e Brasil na atual conjuntura, marcada por adversidades de ordem econômica e política.
Share: 
20 Novembro 2016
Este artigo analisa o papel do ombudsman nos novos acordos de investimento avançados pelo Brasil e discute como o exercício das funções dessa instância pode ser afetado pela transferência da APEX-Brasil para o MRE.
Share: