Brasil sugere postergar ascensão da Venezuela à Presidência Pro Tempore do Mercosul

7 Julho 2016

O ministro interino das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, busca postergar a ascensão da Venezuela à Presidência Pro Tempore do Mercado Comum do Sul (Mercosul). Acompanhado do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o político viajou a Montevidéu com o objetivo de angariar apoio ao plano. Após uma reunião com o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, o chanceler defendeu uma extensão do mandato uruguaio até agosto.

 

O governo paraguaio mantinha-se, até então, como o principal crítico a uma liderança venezuelana no Mercosul. A notícia de que o Uruguai planejava seguir o roteiro original, transferindo a Presidência Pro Tempore à Venezuela em julho, gerou incômodo em Assunção. Conforme exposto pelo ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Eladio Loizaga, a falta de comunicação antes do anúncio impedia uma apreciação plena da questão (ver Boletim de Notícias Pontes). Ainda, o chanceler criticou a demora para a confirmação de uma reunião especial para discutir uma suposta violação da cláusula democrática do bloco por parte da administração de Nicolás Maduro.

 

Serra optou por um discurso mais contido do que aquele adotado pelo Paraguai. Em sua opinião, a decisão deve ser unânime entre os membros do bloco. Por isso, o governo brasileiro sugere o adiamento da transferência do cargo até agosto. Já o ministro das Relações Exteriores do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa, afirmou que a proposta de Serra será considerada nos próximos dias. O tema deverá ser discutido entre 13 e 17 de julho, quando os ministros das Relações Exteriores dos quatro membros originais do Mercosul se reunirão com o objetivo de discutir a conjuntura política venezuelana.

 

Cabe lembrar que o chanceler uruguaio participou de reunião com sua colega argentina, Susana Malcorra, no final de junho. Na pauta do encontro, a busca de uma solução que permitisse uma transição ordenada no Mercosul. Embora tenha concordado com a conclusão de que convinha ao bloco manter o planejamento inicial, Buenos Aires mostra preocupação com os potenciais efeitos de uma liderança venezuela sobre as negociações comerciais com a União Europeia (ver Boletim de Notícias Pontes).

 

Em seu Twitter, Maduro publicou uma mensagem com duras críticas à iniciativa brasileira. Segundo a ministra das Relações Exteriores do país, Delcy Rodríguez, "a República Bolivariana da Venezuela rechaça as insolentes e amorais declarações do chanceler de facto do Brasil". A mesma mensagem classifica a administração de Michel Temer como parte da "conspiração da direita internacional" contra o povo venezuelano.

 

Reportagem Equipe Pontes

 

Fontes consultadas:

 

El Observador. Brasil planteó a Uruguay dilatar entrega de presidencia del Mercosur a Venezuela. (05/06/2016). Acesso em: 07 jun. 2016.

 

Estado de São Paulo. Serra e FHC viajam ao Uruguai para evitar que Venezuela lidere o Mercosul. (06/06/2016). Acesso em: 07 jul. 2016.

 

Folha de São Paulo. Brazilian foreign minister suggests postponing transfer of Mercosur presidency to Venezuela. (07/06/2016). Acesso em: 07 jun. 2016.

 

MercoPress. Brazil asks Mercosul chair transfer to Venezuela to be delayed until August. (06/06/2016). Acesso em: 07 jul. 2016.

6 Setembro 2016
O encontro dos líderes do G-20 ocorreu em 4 e 5 de setembro, em Hangzhou (China), e foi marcado por diversas reuniões e importantes acordos bilaterais. Nessa ocasião, Estados Unidos e China...
Share: 
14 Setembro 2016
Senegal e Uruguai foram os membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) que, mais recentemente, ratificaram o Acordo de Facilitação do Comércio (TFA, sigla em inglês), assinado na Conferência...
Share: