CNI lança coalizão empresarial para combater barreiras técnicas ao comércio

13 Agosto 2018

Em um cenário internacional em que o Brasil enfrenta uma série de obstáculos ao comércio exterior, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) lançou, em 6 de agosto, a Coalizão Empresarial para Facilitação do Comércio e Barreiras. Criada em parceria com cerca de 80 representantes do setor industrial, a coalizão terá como foco identificar barreiras não tarifárias que prejudicam as exportações brasileiras, a fim de contribuir para a articulação de estratégias de combate.

 

Para a criação da coalizão, a CNI e seus parceiros identificaram, por meio de um levantamento de dados, cerca de 20 barreiras comerciais no exterior contra produtos brasileiros. Destas, 17 foram impostas por membros do G20. Os dados compilados também mostram que tais barreiras atingem alguns dos principais produtos exportados pelo Brasil – como açúcar, carne, suco de laranja e produtos elétricos e eletrônicos.

 

Um resultado do estudo é a inserção das barreiras ao comércio identificadas no Sistema Eletrônico de Monitoramento de Barreiras (SEM Barreiras), do governo federal. A CNI tem atualizado esse levantamento e, com o lançamento da coalizão, a tendência é que mais barreiras sejam detectadas. Esse esforço de mapeamento contribuirá para definir estratégias com as quais lidar com esse problema.

 

A Coalizão Empresarial para Facilitação do Comércio e Barreiras será presidida por Fernando Pimentel, atual presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT). A agenda de trabalho da Coalizão será organizada pela área internacional da CNI – mais precisamente, por meio da Gerência de Política Comercial. Para Carlos Abijaodi, diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, a proposta de criar uma coalizão apareceu pela necessidade de construir uma agenda propositiva de temas prioritários e identificar oportunidades de melhoria para as políticas públicas de comércio.

 

No evento também esteve presente o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, que ressaltou a importância da reunião de forças do empresariado brasileiro e do governo com vistas a facilitar o comércio e superar barreiras às exportações brasileiras.

 

Outra prioridade da coalizão é o fortalecimento do programa Operador Econômico Autorizado (OEA). Além das prioridades com o OEA e das barreiras técnicas, a coalizão trabalhará para atacar problemas internos, como a redução de tempos e custos nos processos de exportação e importação para a promoção da agenda de facilitação do comércio. Para isso, durante o lançamento da coalizão, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a Global Alliance for Trade Facilitation e o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) assinaram um memorando de entendimento na área de facilitação do comércio e assistência técnica para modernizar e simplificar os procedimentos envolvidos no comércio.

 

Reportagem ICTSD

 

Fontes consultadas:

 

CNI. CNI lança Coalizão Empresarial para Facilitação de Comércio e Barreiras. (06/08/2018). Acesso em: 09/08/2018.

 

Folha de São Paulo. CNI lança coalizão contra barreiras comerciais a produtos brasileiros. (06/08/2018). Acesso em: 09/08/2018.

 

 

 
 
9 Agosto 2018
Os Estados Unidos anunciaram, no último 30 de julho, um plano de investimento de US$ 113 milhões para a região do Indo-Pacífico. A iniciativa foi anunciada pelo Secretário de Estado Mike Pompeo...
Share: 
15 Agosto 2018
Com o propósito de concluir prontamente as negociações para um tratado de livre comércio entre Brasil e Chile, as equipes negociadoras dos dois países reuniram-se, de 7 a 10 de agosto, em Santiago (...
Share: