CNI promove agenda comercial Mercosul-Japão e avalia negociações com UE

3 Agosto 2018

Para promover o início da negociação de um Acordo de Parceria Econômica (EPA, sigla em inglês) entre Japão e Mercado Comum do Sul (Mercosul), em 23 de julho, representantes da indústria do Brasil e do Japão entregaram a seus respectivos governos uma proposta com vistas a orientar as tratativas. O documento elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e sua contraparte japonesa, a Keidanren, contém os principais temas de comércio, cooperação e investimentos que interessam ao setor industrial nas partes do Acordo.

 

Apresentado durante a 21ª Reunião Plenária do Conselho Empresarial Brasil-Japão, realizada em Tóquio, o roteiro é um importante avanço na construção do EPA – discutido entre a CNI e a Keidanren desde 2014. Em um primeiro momento, o documento buscava refletir apenas as prioridades de Brasil e Japão, mas foi aprofundado de modo a incluir os demais membros do bloco sul-americano.

 

Pelo lado brasileiro, a proposta defende a eliminação de tarifas no comércio de carne, frango, biodiesel, frutas, açúcar, etanol e têxteis. Já a confederação de indústrias do Japão espera vantagens como a redução nas taxas sobre carros, autopeças, máquinas e equipamentos. Tanto a CNI como a Keidanren propõem que a maioria das tarifas de importação e exportação sejam eliminadas em um prazo de 10 anos e que somente para os bens considerados “mais sensíveis” tais tarifas sejam eliminadas em um prazo de 12 a 15 anos.

 

Tanto a CNI quanto a Keidanren defendem que o lançamento das negociações para o EPA seja realizado na próxima reunião de chefes de Estado do G20, programada para novembro, em Buenos Aires.

 

Na mesma direção, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, havia declarado, durante viagem à Ásia realizada em maio, que almejava o início das negociações com o Japão ainda para este ano (ver Boletim de Notícias Pontes).

 

Considerando as diferentes movimentações do Mercosul para aprofundar suas relações com diferentes parceiros comerciais, a Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA) do Brasil promoveu, neste 1º de agosto, uma reunião extraordinária da Aliança AgroBrazil. O encontro foi realizado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e tratou dos avanços na última rodada de negociações entre o Mercosul e a União Europeia (UE) (ver Boletim de Notícias Pontes). Os representantes dos setores manifestaram-se sobre três pontos específicos do possível acordo: regras de origem, indicação geográfica e acesso a mercados.

 

A Aliança AgroBrazil foi lançada pela CNA em junho de 2018 e tem como objetivo atuar nas discussões de acordos de livre comércio, negociações sanitárias e fitossanitárias e na defesa dos interesses do setor agropecuário brasileiro. A Aliança é composta por federações estaduais de agricultura e pecuária, entidades e indústrias ligadas ao setor agropecuário.

 

Reportagem ICTSD

 

Fontes consultadas:

 

CNA. Aliança AgroBrazil discute negociações comerciais entre União Europeia e Mercosul. (01/08/2018). Acesso em: 01/08/2018.

 

Estadão. Indústrias brasileira e japonesas fazem proposta de acordo entre Mercosul e Japão. (24/07/2018). Acesso em: 01/08/2018.

1 Agosto 2018
Os governos do Brasil e do México assinaram o “Acordo sobre Cooperação e Assistência Administrativa Mútua em Assuntos Aduaneiros”. O documento foi firmado durante a XIII Cúpula da Aliança do Pacífico...
Share: 
9 Agosto 2018
Os Estados Unidos anunciaram, no último 30 de julho, um plano de investimento de US$ 113 milhões para a região do Indo-Pacífico. A iniciativa foi anunciada pelo Secretário de Estado Mike Pompeo...
Share: