Convergência de valores?

20 Julho 2018

A construção da ideia de “desenvolvimento sustentável” exige atenção aos fatores que moldam sua operacionalização. De fato, a materialização de qualquer meta na dimensão ambiental se encontra inserida em uma lógica específica de organização econômica e social. Fosse a conservação dos recursos naturais um fim em si mesmo, bastaria a adoção de políticas restritivas para atingir o objetivo. No entanto, discutir o significado do termo “sustentabilidade” representa um esforço necessariamente vinculado a outros valores que sustentam a vida em sociedade.

 

Buscando contribuir com tal processo de construção, o presente número do Pontes oferece a você, prezado(a) leitor(a), artigos que nos permitem refletir sobre os fundamentos para a promoção do desenvolvimento sustentável. As contribuições publicadas a seguir enquadram o ideal da “sustentabilidade” em um contexto mais amplo – e, portanto, povoado por inúmeros valores e objetivos. Afinal, definição alguma de desenvolvimento sustentável sobreviverá caso não abarque os anseios daqueles que a mobilizam.

 

Será a igualdade – ou, ao menos, uma interpretação particular de justiça – necessária para intercâmbios econômicos sustentáveis? Qual o papel da democracia na criação de políticas capazes de mediar os interesses das gerações presentes e futuras quanto à utilização de recursos naturais? Até que ponto legislações ambientais mais estritas constituem uma fonte de vantagem competitiva a empresas ou países? De que maneira a governança global pode influenciar desfechos que, em grande medida, resultam de comportamentos no âmbito local?    

 

Essas e outras perguntas inspiram um esforço que não se esgota no presente número do Pontes. Em um momento marcado pelas ameaças à estabilidade da ordem internacional vigente, talvez sejam os valores aquilo que permitirá uma transição consistente em direção a um novo equilíbrio. Terá a ideia de “sustentabilidade” força suficiente para trazer algo de previsibilidade à busca de metas futuras? De que maneira o desenvolvimento sustentável influenciará a emergência de padrões de competição e cooperação entre os Estados nas próximas décadas? 

 

Esperamos que aprecie a leitura.

 

Equipe Pontes

This article is published under
20 Julho 2018
Com foco nos direitos de acesso como nexo central entre as políticas de meio ambiente e direitos humanos, a autora detalha o processo que deu origem ao Acordo de Escazú e argumenta que seu caráter vinculante abre perspectivas auspiciosas para a região.
Share: 
25 Julho 2018
As negociações da saída do Reino Unido da União Europeia (UE), programada para 29 de março de 2019 (ver Boletim de Notícias Pontes ), estão paralisadas desde a divulgação do White Paper pelo governo...
Share: