Em reunião, Temer e Trump discutem comércio de carne e etanol

20 Setembro 2017

Os presidentes dos Estados Unidos e do Brasil, Donald Trump e Michel Temer, encontraram-se em um jantar realizado em 18 de setembro. No curto prazo, o governo brasileiro teve como objetivo tratar de questões de comércio de carne, etanol e serviços de aviação. A insatisfação dos produtores de etanol dos Estados Unidos, bem como a demora para a liberação do mercado de carne bovina às exportações do Brasil, serviu como pano de fundo. No dia seguinte, durante discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU), Temer defendeu a necessidade de abertura dos mercados agrícolas.

 

O jantar realizado na noite anterior à abertura da AGNU foi protocolar e cercado por jornalistas. Do lado brasileiro, a intenção era avançar na agenda bilateral, paralisada em virtude da instabilidade política no Brasil e das recentes medidas adotadas pela administração Trump. Entre os temas abordados na reunião entre os dois presidentes, destaca-se o comércio de carne, etanol e o acordo open skies, um contrato para liberalizar serviços de aviação.

 

Como pano de fundo do encontro, a indústria estadunidense já havia expressado insatisfação com a sobretaxa brasileira de 20% sobre o etanol importado, determinada pela Câmara de Comércio Exterior (CAMEX) (ver Boletim de Notícias Pontes). Por sua vez, o Brasil há algum tempo protesta pela demora na abertura de mercado de carne bovina dos Estados Unidos às exportações brasileiras. Em relação ao acordo open skies, existe uma divisão entre as companhias aéreas brasileiras e com atuação no Brasil no que diz respeito ao tema. Enquanto Gol e Latam seriam favoráveis a uma abertura dos serviços de aviação, Azul e Avianca consideram que seria necessário tratar de questões tributárias antes da flexibilização.

 

Diplomatas brasileiros admitiram, no entanto, que haveria pouco espaço para avançar nos temas de interesse do Brasil por ocasião do referido jantar. O tema que recebeu mais atenção por parte de Trump teve como centro a situação venezuelana e a necessidade de medidas contra o governo de Nicolás Maduro.

 

No dia seguinte, Michel Temer fez o seu discurso de abertura na AGNU e reiterou a importância do comércio internacional para o Brasil. Temer ressaltou que o engajamento brasileiro “é por um sistema de comércio aberto e bilateral”, e que “tem por centro a OMC [Organização Mundial do Comércio] e seu mecanismo de solução de controvérsias”. Também em relação a comércio internacional, Temer ressaltou o interesse de aproveitar a Conferência Ministerial de Buenos Aires para avançar nos temas de acesso a mercados agrícolas e de eliminação de subsídios distorcivos ao comércio na agricultura. O discurso também ressaltou a ideia de uma política externa brasileira “verdadeiramente universalista”.

 

O discurso de Temer foi considerado “cínico” em vista da forma como o presidente abordou a questão da Amazônia e a situação política do Brasil.

 

Reportagem ICTSD

 

Fontes consultadas:

 

Panrotas. Acordo open skies Brasil-EUA tem discordância entre aéreas. (18/09/2017). Acesso em: 19/09/2017.

 

Sputnik Brasil. Temer é acusado de cinismo após discurso na Assembleia Geral da ONU. (19/09/2017). Acesso em: 19/09/2017.

 

UOL. Donald Trump recebe Michel Temer em jantar na véspera da Assembleia da ONU em NY. (18/09/2017). Acesso em: 19/09/2017.

19 Setembro 2017
O governo brasileiro notificou a adoção de 31 novos instrumentos jurídicos da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). A referida adoção está sendo feita no contexto do...
Share: 
20 Setembro 2017
Alavancando o Setor de Serviços para Cadeias de Valor Inclusivas de Países em Desenvolvimento ICTSD – setembro 2017 Apesar das poucas exceções, como logística e finanças, o papel do setor de serviços...
Share: