Estados Unidos anunciam plano de investimento para a região Indo-Pacífico

9 Agosto 2018

Os Estados Unidos anunciaram, no último 30 de julho, um plano de investimento de US$ 113 milhões para a região do Indo-Pacífico. A iniciativa foi anunciada pelo Secretário de Estado Mike Pompeo durante o Fórum Empresarial Indo-Pacífico, realizado em Washington D.C. O plano busca desenvolver projetos nas áreas de economia digital, energia e infraestrutura. A medida anunciada pelos Estados Unidos coexiste com a intensificação dos investimentos da China com vistas a reativar a Rota da Seda – também conhecida como “One Belt, One Road” (OBOR).

 

Do montante total, o plano prevê um investimento inicial de US$ 25 milhões com foco no aprimoramento da conectividade digital dos países parceiros que exportam tecnologia aos Estados Unidos. Após essa etapa inicial, US$ 50 milhões serão destinados, ainda em 2018, para o setor de energia, e cerca de US$ 30 milhões para infraestrutura. A título ilustrativo, esse montante corresponde a menos de 10% dos recursos investidos por empresas chinesas (US$ 379 milhões) na construção da terceira ponte sobre o Canal do Panamá (ver Boletim de Notícias Puentes).

 

No Fórum Empresarial Indo-Pacífico, o conselheiro sênior de Política do Secretário de Estado, Brian Hook, explicou que a nova estratégia visa à expansão do papel econômico dos Estados Unidos na região Indo-Pacífico. Hook também expressou que a região é uma prioridade absoluta em matéria de política comercial externa. Hook enfatizou, ainda, que o plano de investimentos foi articulado com a preocupação de promover um desenvolvimento regional de altos padrões em temas como transparência, Estado de Direito e financiamento sustentável.

 

Para Alyssa Ayres, pesquisadora sênior do Conselho de Relações Exteriores (CFR, sigla em inglês) e ex-secretária adjunta de Estado dos Estados Unidos para o Sul da Ásia, a iniciativa apresentada por Mike Pompeo durante o Fórum não pode ser comparada com o Corredor Econômico China-Paquistão – que constitui parte da Nova Rota da Seda. Para Ayres, os Estados Unidos precisam identificar de forma mais clara e precisa como será a forma de aproveitamento dos recursos nos países como Austrália, Cingapura, Índia e Japão, com os quais pretendem estabelecer laços de cooperação econômica.

 

O plano de investimento apresentado pelos Estados Unidos ocorre no contexto de intensificação das fricções comerciais com a China. Em 3 de agosto passado, Beijing anunciou uma nova imposição de tarifas retaliatórias sobre US$ 60 bilhões em importações dos Estados Unidos – atingindo produtos como café, mel e químicos industrias. Tal medida foi considerada uma resposta à imposição, pelo governo estadunidense, de tarifas de 25% sobre US$ 34 bilhões em produtos chineses, sob o argumento de roubo de tecnologia – tarifas que se encontram vigentes desde 6 de julho.

 

Reportagem ICSTD

 

Fontes consultadas:

 

ABC News. China announces $60B of US goods for tariff retaliation. (03/08/2018). Acesso em: 07/08/2018.

 

Marco Trade News. EEUU responde a la Ruta de la Seda china con una exigua inversión en Indo-Pacífico. (01/08/2018). Acesso em: 07/08/2018.

 

VOA. Pompeo to announce US Economic Initiatives in “Indo-Pacific”. (30/07/2018). Acesso em: 07/08/2018.

3 Agosto 2018
Para promover o início da negociação de um Acordo de Parceria Econômica (EPA, sigla em inglês) entre Japão e Mercado Comum do Sul (Mercosul), em 23 de julho, representantes da indústria do Brasil e...
Share: 
13 Agosto 2018
Em um cenário internacional em que o Brasil enfrenta uma série de obstáculos ao comércio exterior, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) lançou, em 6 de agosto, a Coalizão Empresarial para...
Share: