Estados Unidos passam a importar limões da Argentina e exportar carne de porco a esse país

25 Agosto 2017

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, sigla em inglês) concedeu autorização definitiva para a importação de limões argentinos. A decisão resultou de acordo alcançado durante a visita do vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, realizada na primeira quinzena de agosto. Durante a visita, a Argentina também autorizou a entrada de carne de porco estadunidense em seu mercado pela primeira vez desde 1992. O limão argentino regressará aos Estados Unidos após 16 anos.

 

Em 25 de janeiro, a administração Trump publicou um comunicado que suspendeu por 60 dias a autorização para a importação de limões da Argentina, revertendo a permissão concedida pelo governo Obama em 23 de dezembro de 2016 (ver Boletim de Notícias Pontes). Em 1º de maio, o USDA afirmou que não estenderia a suspensão para além do dia 26 daquele mesmo mês. No entanto, a autorização definitiva para a importação de limões argentinos foi concedida apenas na semana passada.

 

Segundo nota emitida pelo Ministério das Relações Exteriores da Argentina em 17 de agosto, a autorização reflete a negociação entre ambos os países, iniciada em abril, e mantida durante a visita de Mike Pence à América do Sul. Contudo, vários periódicos argentinos notam que a permissão foi atrelada à abertura do mercado de carne de porco do país sul-americano, a partir de acordo fechado também durante a visita de Pence.

 

O referido acordo foi recebido com preocupação pela Associação Argentina de Produtores de Suínos, que afirmou que a abertura do mercado argentino pode fechar 35 mil postos de trabalho. Além disso, reconhecendo que o setor de carne de porco foi utilizado como moeda de troca, o presidente da Associação afirmou que “esse movimento [de abertura] veio com todo o triunfalismo de que as exportações de limões seriam abertas, mas até agosto nem um limão sequer viajou para lá [Estados Unidos]”.

 

Como resposta às críticas, o ministro da Agricultura da Argentina justificou a necessidade de abertura do mercado, afirmando que “não há experiências de países absolutamente fechados que cresçam”. Não soube, entretanto, dar detalhes sobre o volume de carne de porco estadunidense que se espera ingressar na Argentina.

 

Do lado dos Estados Unidos, produtores de limão também haviam mostrado preocupação com a possível abertura do mercado nacional aos produtos argentinos. O maior volume de reclamações teve como origem o estado da Califórnia, que assume com sobra a posição de liderança como produtor de limão nos Estados Unidos. Para esses produtores, os limões argentinos carregam doenças que podem colocar em risco suas plantações.

 

Reportagem Equipe Pontes

 

Fontes consultadas:

 

Agrovoz. Para Buryaile, el ingreso de cerdo de EEUU "es positivo para la relación bilateral". (18/08/2017). Acesso em: 24/08/2017.

25 Agosto 2017
O governo brasileiro decidiu entrar com pedido de estabelecimento de painel frente à Organização Mundial do Comércio (OMC) no contencioso iniciado no começo de 2017 contra o Canadá e envolvendo...
Share: 
30 Agosto 2017
A Organização Mundial do Comércio (OMC) lançará relatório condenando o Brasil por incentivos oferecidos ao desenvolvimento industrial nacional. A disputa sobre tributação e subsídios remete a 2013,...
Share: