Grupo de trabalho do G20 divulga plano de ação para combate às mudanças climáticas

7 Setembro 2018

Representantes dos países do G20 reuniram-se de 28 a 30 de agosto para discutir temas como eficiência energética, recursos naturais, adaptação e ação climática, no âmbito do Grupo de Trabalho de Sustentabilidade Climática (CSWG, sigla em inglês). Como resultado da reunião realizada em Puerto Iguazú (Argentina), o CSWG elaborou um plano de ação para combater os impactos da mudança climática global por meio da difusão de melhores práticas na direção de economias mais limpas. O plano de ação será entregue aos chefes de Estado na Cúpula do G20, a ser realizada em Buenos Aires, em finais de novembro.

 

Para o presidente do CSWG e secretário de Mudanças Climáticas e Desenvolvimento Sustentável da Argentina, Carlos Gentile, o uso eficiente dos recursos naturais é, ao mesmo tempo, uma necessidade e uma oportunidade para os países do G20 de alcançarem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Gentile também mencionou que a próxima Cúpula do G20 é uma oportunidade para estimular os membros do Grupo a reduzirem suas emissões de gases de efeito estufa (GEEs) e cumprirem com as Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDC, sigla em inglês) que compõem o Acordo de Paris.

 

O documento finalizado pelo CSWG detalha as boas práticas definidas pelos países do G20, entre as quais se destacam algumas medidas adotadas pelo governo argentino: o estabelecimento de um gabinete de mudança climática; a organização de reuniões periódicas e interministeriais dentro do governo nacional; e a criação de um mapa de risco, que permite visualizar o impacto do aquecimento global sobre as diferentes regiões da cidade.

 

O referido mapa é uma ferramenta digital que permite visualizar dois cenários de emissão de GEEs projetados pelo grupo de cientistas das Nações Unidas e como esses gases afetarão a população argentina. O mapa busca, ainda, fornecer uma base de conhecimento para os tomadores de decisão política, a ser levada em conta na projeção de políticas públicas urbanas.

 

Além das boas práticas, o CSWG projetou que existem cerca de 40 empresas em Cingapura que serão cobradas diretamente com o imposto ambiental. Segundo cálculos oficiais, esse imposto cobrirá aproximadamente 80% das emissões de GEEs de Cingapura. Por sua vez, a Alemanha apresentou seu plano de redução de emissões para 2030; e o Brasil comprometeu-se a trabalhar na expansão das energias renováveis em sua matriz energética.

 

Além de Isabelle Bérard, co-presidente do CSWG e vice-ministra adjunta de Meio Ambiente e Mudanças Climáticas do Canadá, participaram da reunião: Jochen Flasbarth, secretário de Estado do Ministério Federal do Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha; e Naomi Tokashiki, ministra de Estado do Meio Ambiente do Japão.

 

Reportagem ICTSD

 

Fonte consultada:

 

Infobae. G20: el grupo de Sustentabilidad Climática elaboró un listado de buenas prácticas energéticas. (01/09/2018). Acesso em: 05/09/2018.

6 Setembro 2018
Com o objetivo de promover o início das negociações para o acesso do Brasil à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), a Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou...
Share: 
17 Setembro 2018
No âmbito do projeto estratégico da Nova Rota da Seda (OBOR, sigla em inglês) (ver Boletim de Notícia Pontes ), a estatal China Merchants Port informou a aquisição do Terminal Portuário de Paranaguá...
Share: