Novo ministro das Relações Exteriores brasileiro propõe mudanças na política comercial

21 Maio 2016

Em declarações dadas na última semana, o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil (MRE), José Serra, defendeu mudanças na política comercial do país. Uma reforma institucional do Mercado Comum do Sul (Mercosul) figura entre as prioridades. As palavras do chanceler sugerem uma flexibilização das regras atuais, permitindo aos Estados membros negociar acordos preferenciais de comércio isoladamente. Para o governo interino, tais mudanças facilitariam o objetivo de uma maior aproximação com os chamados "sócios tradicionais" do país – como Estados Unidos, Japão e União Europeia (UE) –, além da intensificação de parcerias com os Estados da Ásia.

 

Ao menos no plano retórico, a defesa de reformas vem amparada em termos como "fortalecimento" e "renovação". Em outras palavras, Serra defende uma mudança de rumo para o Mercosul, com a possível intensificação do comércio entre seus sócios. Da mesma forma, o chanceler tem enfatizado que as relações com a Argentina são vistas como prioritárias, refletindo o compartilhamento de "referências semelhantes para a organização da política e da economia". O titular do MRE viajará a Buenos Aires em 23 de maio para participar de reunião com representantes do governo argentino e explicar as mudanças políticas ocorridas no Brasil.

 

Serra promete, ademais, aumentar o repasse de recursos ao MRE. A intenção do novo chanceler busca diminuir a insatisfação da diplomacia brasileira com a redução do orçamento da pasta implementada pela então presidente Dilma Rousseff. Ao mesmo tempo, o ministro sinaliza modificações na cooperação entre o Itamaraty e outros órgãos ligados à formulação da estratégia comercial do Brasil, como a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX-Brasil).  

 

Finalmente, Serra tem enfatizado o fim de “influências ideológicas” na formulação da política externa do Brasil. Segundo o novo chanceler, sob sua administração, a diplomacia representará "os legítimos valores da sociedade brasileira e os interesses de sua economia". Dessa maneira, o titular do MRE busca associar as ações adotadas pelos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff às "preferências ideológicas de um partido político".

 

Reportagem Equipe Pontes

 

Fontes consultadas:

 

Comex do Brasil. Serra vai à Argentina para tratar de comércio bilateral, Mercosul e das negociações com a UE. (20/05/2016). Acesso em: 20 mai. 2016.

 

Globo. Serra toma posse e diz que Itamaraty não representará interesse partidário. (18/05/2016). Acesso em: 20 mai. 2016.

 

Valor Econômico. É preciso flexibilizar Mercosul e fazer acordos bilaterais, diz Serra. (19/05/2016). Acesso em: 20 mai. 2016.

6 Setembro 2016
O encontro dos líderes do G-20 ocorreu em 4 e 5 de setembro, em Hangzhou (China), e foi marcado por diversas reuniões e importantes acordos bilaterais. Nessa ocasião, Estados Unidos e China...
Share: 
14 Setembro 2016
Senegal e Uruguai foram os membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) que, mais recentemente, ratificaram o Acordo de Facilitação do Comércio (TFA, sigla em inglês), assinado na Conferência...
Share: