Possibilidade de joint ventures com empresas chinesas impulsiona cultivo de soja no Brasil

19 Agosto 2018

A continuidade nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China tem afetado o mercado mundial de alimentos, em especial o cultivo de soja. Nesse contexto, empresas chinesas e brasileiras têm negociado com vistas à criação de empresas conjuntas (joint ventures) para o processamento de soja. Com isso, o Brasil espera um aumento significativo dos embarques desse produto com destino para a China – hoje seu principal comprador de soja crua.

 

Segundo Qu Yuhui, ministro conselheiro para Assuntos Políticos na Embaixada da China no Brasil, a concretização dessa joint venture poderia contribuir para a maximização de lucros para ambos os lados. Os custos logísticos no país sul-americano também poderiam ser reduzidos com essa associação privada, uma vez que a taxa imposta pela China sobre as importações de soja brasileira continua sendo alta.

 

Essa mudança nos fluxos comerciais tem impactado a paisagem agrícola brasileira: em dois anos, as plantações de soja no Brasil cresceram 2 milhões de hectares. Ao mesmo tempo, a área utilizada para cultivos de cana-de-açúcar diminuiu em quase 400 mil hectares.

 

Com a expansão dos cultivos de soja, as exportações desse produto para a China passaram a quase 36 milhões de toneladas na primeira metade de 2018 – alta de 6% em relação ao ano passado. Esse incremento na produção de soja do Brasil, coloca o país como o principal rival dos Estados Unidos na posição de maior produtor mundial de soja em 2018.

 

Contudo, o vertiginoso aumento no cultivo de soja e outros grãos em todo o território brasileiro tem gerado problemas no funcionamento das usinas de açúcar e etanol no país. Cerca de 60 usinas foram fechadas nos últimos anos, após um longo período marcado por baixos preços do etanol.

 

A possibilidade de que o Brasil venha a figurar como o maior fornecedor de soja para a China pode gerar atritos com a Argentina, que tem acelerado a compra de óleo de soja da China, em troca de um maior acesso ao mercado desse país para a farinha de soja.

 

Reportagem ICTSD

 

Fontes consultadas:

 

Marco Trade News. Sociedades conjuntas Brasil-China podrían impulsar comercio de soja. (15/08/2018). Acesso em: 16/08/2018.

 

Reuters. Brazil's farmers dump sugar for soy as trade war boosts Chinese demand. (14/08/2018). Acesso em: 16/08/2018.

 

15 Agosto 2018
Com o propósito de concluir prontamente as negociações para um tratado de livre comércio entre Brasil e Chile, as equipes negociadoras dos dois países reuniram-se, de 7 a 10 de agosto, em Santiago (...
Share: 
21 Agosto 2018
Ferramenta interativa de busca de acordos comerciais RTA Exchange – julho 2018 Iniciativa conjunta do International Centre for Trade and Sustainable Development (ICTSD) e do Banco Interamericano de...
Share: