Siderurgia brasileira discute estratégias para defender-se de medidas protecionistas

27 Agosto 2018

Com o objetivo de discutir as novas estratégias da indústria siderúrgica ante a escalada das tensões comerciais envolvendo os Estados Unidos (ver Boletim de Notícias Pontes), representantes do setor reuniram-se no Congresso Aço Brasil 2018, realizado em 21 e 22 de agosto, em São Paulo (Brasil). Promovido pelo Instituto Aço Brasil, o evento contou com a presença do presidente Michel Temer e do ministro de Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima.

 

No discurso de abertura do evento, Temer afirmou a importância de defender a indústria do aço para fortalecer a economia do país. O presidente do Brasil também destacou que, embora o setor siderúrgico tenha passado por momentos críticos, tem apresentado um crescimento na produção e venda do aço para os mercados nacional e internacional.

 

Ainda, Temer destacou o papel do governo brasileiro na mediação com Washington com vistas a excluir o Brasil das tarifas de 25% sobre o aço importado oriundo de diversos países – medida em vigor desde março deste ano. Em um primeiro momento, a lista de países taxados incluía o Brasil, mas o setor conseguiu um relaxamento das medidas: hoje, as empresas estão livres da tarifa, mas seguem submetidas a um limite de cotas de exportação para o mercado estadunidense.

 

“Sempre que eu discurso nos organismos internacionais, sou crítico do protecionismo de outros mercados contra a indústria brasileira. (...) o que devemos fazer é proteger nossa indústria. O tema do protecionismo externo deve ser tratado (...) com o apoio do governo” – comentou Temer em seu discurso.

 

Antes do evento realizado em São Paulo, executivos do Instituto Aço Brasil ressaltaram o cenário hostil de protecionismo global e a necessidade de proteger a indústria nacional. Segundo representantes do setor siderúrgico, a postura de abertura comercial da administração Temer tem prejudicado a indústria, em um contexto marcado pelo protecionismo.

 

Durante o evento, Sérgio Leite de Andrade, novo presidente do Instituto Aço Brasil, expressou que isso não significa que o setor siderúrgico é contrário ao livre comércio. Leite enfatizou que cabe ao governo brasileiro cuidar do mercado nacional, de modo a não haver consequências negativas no emprego. O presidente-executivo do Instituto, Marcos Polo de Mello Lopes, também manifestou sua expectativa de que sejam retiradas, ainda neste ano, as medidas antidumping impostas em setembro de 2017 pela Câmara de Comércio Exterior (CAMEX) contra o aço laminado oriundo de China e Rússia (ver Boletim de Notícias Pontes).

 

Reportagem ICTSD

 

Fonte consultada:

 

Folha de São Paulo. Temer diz a empresários do aço que é preciso proteger a indústria. (21/08/2018). Acesso em: 23/08/2018.

22 Agosto 2018
O Ministério de Comércio da China (MOFCOM, sigla em inglês) anunciou, em 16 de agosto, que prorrogará por seis meses a investigação sobre prática de dumping de exportadores brasileiros de carne de...
Share: 
30 Agosto 2018
Os governos do Brasil e da República Dominicana assinaram, em 23 de agosto, uma ata de compromisso que está orientada à eliminação de barreiras que afetam o comércio e o investimento entre ambos os...
Share: